TIRE SUAS DÚVIDAS. Ligue para gente: (21)2226-5113
Portal IBKL

Blog

5 coisas que todos devem saber sobre a vacinação contra a Covid-19

Aguardada desde o início da pandemia, a vacinação contra a  Covid-19 é uma esperança para controlar a pandemia que assola o mundo desde o ano passado. No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária já aprovou duas vacinas para uso (a CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan e a vacina de Oxford, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz e o laboratório AstraZeneca). Agora, a desinformaç ão ameaça o sucesso dos programas de vacinação em todo o mundo. Por isso, veja aqui 5 coisas que todos devem saber sobre a vacinação contra a Covid-19:

1) Elas só podem ser distribuídas pelo SUS

A população brasileira terá acesso às doses pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de forma gratuita e respeitando as prioridades estabelecidas pelo plano do Ministério da Saúde ou de acordo com o plano local de cada estado.

2) Pessoas que já contraíram Covid-19 também devem tomar a vacina

Quem já teve Covid-19  e está recuperado pode tomar a vacina sem problemas. É, inclusive, recomendado já que não se sabe ao certo quanto tempo dura a imunidade depois que a pessoa se cura da infecção. Por outro lado, se você estiver com sintomas de Covid-19 ou com a doença confirmada, não deve tomar a vacina.

 

3) Mesmo vacinada, uma pessoa pode transmitir o vírus (então os mesmos protocolos de segurança continuam valendo)

É fundamental manter os mesmos protocolos de prevenção com distanciamento social, uso de máscaras, limpeza constante das mãos, durante a espera pela segunda dose e também após a vacinação completa. Apesar de ser um avanço no combate à Covid-19, a vacina não impede de forma imediata e completamente que o vírus circule. A vacinação começará a ter efeito e apresentar redução no número de casos e mortes somente após alguns meses e após um número expressivo de pessoas receberem o esquema vacinal completo.

 

4) Por enquanto, prevenção é o único remédio eficaz para a Covid-19

Não há medicamentos ou terapias aprovadas pelas autoridades médicas e sanitárias para prevenir a Covid-19 no Brasil ou em qualquer outro país. 

 

5) Após a vacinação contra a Covid-19 dos grupos prioritários, as doses estarão disponíveis para a população sem comorbidades

O “Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19” traz a indicação de três fases, que englobam pouco menos de 50 milhões de pessoas dos grupos de risco, ou seja, cerca de um em cada quatro brasileiros. Juntas, essas três fases têm previsão de durar quatro meses. Apenas após o encerramento delas, começaria a contar a projeção de 12 meses do ministério para vacinar a população fora dos grupos prioritários.

 

Fontes: Informe Técnico sobre Vacinação do Ministério da Saúde
Instituto Butantan 
UOL
Instituto Socioambiental (ISA)
Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19