TIRE SUAS DÚVIDAS. Ligue para gente: (21)2226-5113
Portal IBKL

Blog

Atualizações da vacina contra a Covid-19

Em 12/12/2020 o governo enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19. Leia o documento na íntegra aqui. O plano explica como serão atendidos os grupos prioritários e quais são as vacinas “candidatas” à aquisição para distribuição populacional. Veja aqui os principais pontos do documento e como estão os testes de eficácia da vacina contra a Covid-19.

 

Principais pontos do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19

 

Início da vacinação

Ainda não existe uma data específica, mas o plano diz que grupos prioritários serão vacinados no primeiro semestre de 2021. O Ministério da Saúde declarou que a data depende da aprovação dos registros por parte da Anvisa mas, até o momento, nenhuma empresa pediu registro das vacinas à agência.

 

Grupos prioritários

Os grupos prioritários para receber a vacina contra a Covid-19 foram divididos em fases, sendo elas:

 

Primeira fase

  • 5.886.718 trabalhadores da área da Saúde
  • 4.266.553 pessoas a partir de 80 anos
  • 3.480.532 pessoas de 75 a 79 anos
  • 198.249 pessoas de 60 anos ou mais que vivam em instituições como asilos
  • 410.348 indígenas

 

 

Segunda fase

  • 5.174.382 pessoas de 70 a 74 anos
  • 7.081.676 pessoas de 65 a 69 anos
  • 9.091.902 pessoas de 60 a 64 anos

 

Terceira fase

  • 12.661.921 pessoas com comorbidades

 

Quarta fase

  • 2.344.373 professores, do nível básico ao superior
  • 850.496 profissionais de forças de segurança e salvamento
  • 144.451 funcionários do sistema prisional

 

ATUALIZAÇÃO: em 16/12/2020, houve uma atualização do plano, no qual foram incluídos entre as prioridades da campanha de vacinação:

  • Comunidades tradicionais ribeirinhas;
  • Quilombolas;
  • Trabalhadores do transporte coletivo;
  • Pessoas em situação de rua;
  • População privada de liberdade.

 

Tipos de vacina contra a Covid-19

O governo planeja usar doses da vacina contra a Covid-19produzida pelo laboratório AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford. Segundo o G1, o governo tem acordo para receber 100,4 milhões de doses dessa vacina até julho de 2021. Além disso, o documento também diz que o Brasil possui acordo para aquisição de 42,5 milhões de doses do consórcio Covax, coordenado pela OMS  e 70 milhões de doses da vacina da Pfizer.

CoronaVac | Instituto Butantan

O plano também cita que o governo tem orçamento reservado para a compra de outras vacinas como a CoronaVac, do laboratório Sinovac, produzida pelo Instituto Butantan.

O Instituto Butantan oficializou hoje (08/12) o pedido de uso emergencial da CoronaVac à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O órgão prevê que a análise do pedido emergencial leve até dez dias. Caso seja aprovada, a imunização de grupos de risco como idosos e profissionais da saúde estará autorizada.

Ontem, o instituto disse que a eficácia da vacina é de 78% para casos leves. Há expectativa de que a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) também faça hoje um pedido de uso emergencial da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com o laboratório Astrazeneca.**

Atualizações da Anvisa sobre a vacina contra a Covid-19

Teste de eficácia 

Confira a eficácia divulgada até o momento* das principais vacinas contra Covid-19 em desenvolvimento: 

 

  • Pfizer/BioNTech

País: Estados Unidos e Alemanha

Eficácia: 95%

Fase de testes: fase 3 concluída

Pessoas testadas: 43.661 voluntários nos Estados Unidos, Brasil, Argentina, Alemanha, Turquia e África do Sul

 

  • Moderna

País: Estados Unidos

Eficácia: 94,5%

Fase de testes: fase 3 concluída

Pessoas testadas: 30.000 voluntários nos Estados Unidos

 

  • AstraZeneca/Oxford

País: Reino Unido

Eficácia: 70,4%

Fase de testes: fase 3 concluída, com resultado revisado

Pessoas testadas: 11.636 voluntários participaram de análise de eficácia no Reino Unido e Brasil

 

  • CoronaVac (Sinovac)

País: China

Eficácia: 78% em casos leves

Fase de testes: fase 3 concluída

Pessoas testadas: 13.000 no Brasil, há também voluntários na China, Indonésia, Turquia, Bangladesh, Filipinas, Arábia Saudita e Chile

 

  • Sputnik V

País: Rússia

Eficácia: 92%* (*testes ainda não foram concluídos)

Fase de testes: fase 3 em andamento

Pessoas testadas: 40.000 na Rússia

 

*Atualização em 08/12.

**Atualização em 08/01.

FONTES: G1

CNN Brasil

Ministério da Saúde

Anvisa

Agência Brasil