TIRE SUAS DÚVIDAS. Ligue para gente: (21)2226-5113
Portal IBKL

Blog

Como os métodos ativos de ensino fazem a diferença em cursos de medicina

A educação está mudando, com cada vez mais formas de se ensinar, valorizar a diversidade e aproveitar as novas tecnologias para obter melhores resultados. O ensino de medicina também faz parte dessa transformação. O aprendizado passivo, em que o aluno apenas procura absorver o conhecimento do professor já não é mais o único utilizado nas instituições de ensino. Métodos ativos como o Problem Based Learning (PBL) e o Team-Based Learning (TBL) ganham cada vez mais espaço nas faculdades.

Desenvolvimento do raciocínio e capacidade investigativa

Nas aulas em que algum método ativo é utilizado, o aluno é incitado a procurar respostas para a solução de problemas, trabalhar em equipe e desenvolver organicamente as habilidades que serão necessárias para o exercício da sua profissão no futuro. Cada metodologia tem suas particularidades, mas todas colocam o aluno como protagonista da sua formação, enquanto os professores atuam oferecendo o suporte necessário para o desenvolvimento das capacidades.

Métodos ativos de ensino de medicina

A inclusão desses novos métodos não significa o abandono dos formatos antigos, e sim uma metodologia complementar, para desenvolver de forma mais eficiente algumas habilidades que, antes, o aluno só começava a desenvolver quando já estava atuando na sua área de formação. As disciplinas baseadas em métodos ativos são introduzidas de forma estruturada e alinhada com a grade curricular.

Entre as vantagens dos métodos ativos estão a autonomia que o aluno ganha para  buscar soluções para as questões do dia a dia e a flexibilidade para resolver problemas. Ele é incentivado a sair das aulas e continuar a reflexão sobre o que aprendeu, além de buscar novas informações de fontes seguras e aprender alternativas para resolver o mesmo problema, amplificando o raciocínio e a bagagem teórica adquirida.

Ter esse tipo de experiência durante a graduação torna os recém-formados mais qualificados e seguros para o mercado de trabalho, aumentando sua empregabilidade e a qualidade do atendimento prestado desde o início da carreira. São adquiridas competências que vão auxiliar o exercício da profissão para toda a vida.

Os desafios dos métodos ativos de ensino

Por se tratar de uma forma menos convencional de ensino, é comum que os alunos dos primeiros períodos tenham algumas dificuldades de adaptação ao método. Nas escolas o modelo predominante – e muitas vezes o único – é o da educação passiva, baseada em decorar informações passivamente em vez de raciocinar sobre elas. Por isso é importante que a grade curricular da instituição introduza disciplinas de metodologia ativa desde o início, para que a progressão se dê de forma exponencial até o fim do curso.

Outra dificuldade relatada em cursos neste formato é a do trabalho em equipe. Em uma mesma turma, os grupos podem ser formados por pessoas de diferentes gerações, formações e adeptas a diferentes correntes teóricas. Mas aprender a lidar com essas divergências é fundamental para preparar o aluno para o mercado de trabalho, em que essas questões sempre estarão presentes. Cabe, dentro do curso, ao professor direcionar as turmas para a resolução de conflitos com foco no aprendizado e na solução dos problemas propostos pela disciplina.

Em geral, no entanto, a receptividade dos alunos é positiva aos métodos ativos, pelos benefícios que eles agregam à formação e pelo acesso a uma maior variedade de ideias e referências presentes em sala de aula. Aprender a lidar com as dificuldades em um ambiente acadêmico, seguro e próprio para a troca de informações é uma alternativa muito melhor que lidar com as mesmas questões pela primeira vez durante o exercício da profissão, quando as responsabilidades são muito maiores.

Se a sua instituição de ensina precisa de um parceiro para auxiliar a implementação de métodos ativos em cursos da área de saúde, o IBKL tem a solução completa. Entre em contato conosco e saiba mais!