TIRE SUAS DÚVIDAS. Ligue para gente: (21)2226-5113
Portal IBKL

Blog

Reinfecção por Covid-19: o que se sabe até agora

Embora muito se tenha avançado em relação ao entendimento da Covid-19, vários aspectos ainda precisam de muita pesquisa. A reinfecção pelo vírus é um assunto que tem se tornado cada dia mais presente na nossa vida, pois todos querem saber: é possível pegar Covid-19 duas vezes? Por quanto tempo fica-se imune? O que isso influencia no que sabemos sobre as vacinas? Selecionamos notícias, artigos e pesquisas recentes para mostrar o que se sabe sobre a reinfecção por Covid-19, veja:

 

Casos de reinfecção por Covid-19 no Brasil

As reinfecções pelo Sars-CoV-2 ainda são tema de controvérsia, algo esperado diante de uma doença que surgiu faz pouco tempo. De acordo com dados do Ministério da Saúde, até 5 de abril de 2021, foram confirmados oito casos de reinfecção por Covid-19 no Brasil.

 

Casos de reinfecção por Covid-19 no mundo

Difícil saber ao certo. O primeiro caso confirmado no mundo veio à tona em 25 de agosto: um homem de Hong Kong, que não chegou a desenvolver sintomas no segundo contágio.

O site BNO News mantém uma contagem atualizada diariamente, com base nas informações oficiais dos países. O contador acusa, no dia (atualizar), 66 casos confirmados e cerca de 16 mil em investigação. Especialistas alertam, contudo, que o número pode estar longe da realidade.

“Não é uma situação comum, mas com certeza deve existir mais do que o que já vimos oficialmente, porque é difícil comprovar uma reinfecção”, aponta o infectologista Wladimir Queiroz, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), em entrevista para a Revista Abril.

 

Por que devemos prestar atenção aos casos de reinfecção, já que eles são “raros”?

Dos oito registros de reinfecção no Brasil, dois estão ligados às variantes identificadas no Amazonas e na África do Sul. Pelo perfil das mutações genéticas, os cientistas suspeitam que elas sejam mais contagiosas e poderiam escapar dos anticorpos desenvolvidos na primeira vez. A versão africana já foi alvo de um estudo neste sentido, ainda não revisado por outros pesquisadores.

De qualquer modo, as especulações fazem sentido. É comum que os vírus sofram mutações para driblar o sistema imune, e isso pode levar a reinfecções. É o que ocorre com o influenza, da gripe. Ele muda tanto que exige vacinas novas todos os anos, e quem pegou uma vez não está livre de ficar gripado de novo.

 

A segunda vez é mais grave?

Ainda é muito cedo para dizer e os relatos apontam diferentes cenários. Há pessoas que manifestaram casos leves nas duas vezes e outras que só apresentaram sintomas em uma das duas infecções.

 

É possível se prevenir das reinfecções?

Sim! E a resposta você já deve conhecer: manter todos os cuidados com a pandemia mesmo após se curar da Covid-19. 

Fonte: Escape of SARS-CoV-2 501Y.V2 variants from neutralization by convalescent plasma
BNO News
Abril – Saúde
UOL
Portal Fiocruz