TIRE SUAS DÚVIDAS. Ligue para gente: (21)2226-5113
Portal IBKL

Blog

Saúde do homem:  Por que homens vivem menos?

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a expectativa mundial de vida ao nascer é de 74 anos para mulheres e de 69 anos para homens. No Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida ao nascer é de 80 anos para mulheres e de 73 anos para homens – ou seja, eles vivem 7 anos a menos. Menos acesso aos serviços de saúde e o alto número de mortes na juventude são algumas das razões que explicam essa diferença.

Hábitos de saúde que diminuem a expectativa de vida

De acordo com o IBGE, homens com 20 anos de idade têm 4,5 mais chances de não completarem 25 anos do que mulheres com a mesma idade. Isso ocorre porque os óbitos por causas externas ou não naturais atingem com maior intensidade a população masculina. Mas não é apenas nessa faixa etária que os homens morrem mais cedo, e os hábitos de saúde estão diretamente relacionados à menor expectativa de vida masculina.

Um dado alarmante é a baixa frequência com que o homem cuida da saúde: três em cada dez homens não têm o hábito de ir ao médico, segundo o Ministério da Saúde. E, de acordo com pesquisa do Centro de Referência em Saúde do Homem, mais da metade dos pacientes do sexo masculino só busca atendimento médico quando os problemas de saúde já estão em estágio avançado, o impede um diagnóstico precoce e dificulta a eficiência do tratamento.

Saúde dos homens

A prevenção é fundamental para a detecção de doenças em estágio inicial. Mesmo sabendo disso, a maioria dos homens não tem o hábito de fazer exames de rotina ou ir a consultas médicas. Segundo o médico urologista Alberto Tolentino, muitos alegam que por falta de tempo não procuram atendimento, e alguns evitam por causa do preconceito com o tipo de exame preventivo da próstata.

Além do câncer, a próstata pode apresentar outros problemas como seu crescimento benigno, que atinge cerca de 50% dos homens acima de 50 anos, gerando dificuldade para urinar, e a prostatite, que é a inflamação da glândula. Por isso, a avaliação periódica da próstata é fundamental, desde a puberdade:

“Hoje a gente recebe muitos pacientes no consultório não só com questões anatômicas, como também psicológicas, muitos jovens com ejaculação precoce, que às vezes que ficam intimidados de conversar com o pai, ou mesmo com qualquer outro membro da família, do sexo masculino. São problemas tratáveis e que têm solução. Também tem a fimose que se não for tratada pode causar câncer de pênis”, alerta Alberto Tolentino.

Expectativa de vida dos homens deve aumentar no futuro

A boa notícia é que estudos indicam que a diferença na expectativa de vida entre os sexos deve diminuir em um futuro próximo. Pesquisa do Imperial College de Londres aponta que a distância entre as expectativas de vida de mulheres e homens em 2030 será de um ano e nove meses no Reino Unido. Hoje, essa diferença é de três anos.

“A queda no consumo de álcool e tabaco tem beneficiado majoritariamente os homens, que tendem a beber e fumar mais que as mulheres. Também temos feito muitos avanços na luta contra doenças cardíacas, que são mais frequente entre os homens”, disse o professor de estatística Les Mayhew ao jornal britânico The Guardian.

Mortes relacionadas a acidentes de trânsito também estão diminuindo em muitos países, o que também deve ajudar a aumentar o tempo de vida dos homens, que são quem hoje mais morre com esse tipo de acidente.

*Confira a entrevista do urologista Dr. Alberto Tolentino na íntegra clicando aqui.